Assistência Estudantil do IFPR: Campus Avançado Astorga antes e depois do golpe

Creio que já está claro até para quem bateu panela em 2015 que o que aconteceu não foi impeachment e sim um golpe: com uma desculpa legal esdrúxula e se aproveitando da comoção promovida pela mídia retiraram não só uma presidenta, mas acabaram com todo um projeto de país que deu certo. Este post tem como objetivo analisar os efeitos do golpe na disponibilidade Assistência Estudantil em nosso campus.

O IFPR oferece cinco programas de assistência estudantil: o Programa de Bolsas Acadêmicas de Inclusão Social (Pbis), o Programa de Assistência Complementar ao Estudante (Pace), o Programa Monitoria, o Programa Estudante Atleta (PEA) e o Programa de Apoio à Participação em Eventos Estudantis. Minha reflexão foca nos quatro primeiros, sendo a distribuição dos recursos do último feita de modo diferente.

A tabela abaixo apresenta os números de bolsa disponibilizadas em toda a história do campus avançado Astorga:

*Em 2016 não houve oferta do Programa Monitoria em nosso campus pois não havia turmas de segundo ano, requisito para participar do programa.

Mesmo com 34 novos estudantes em nossa escola houve o acréscimo de apenas 04 vagas no programa Pace, apenas uma vaga para o estreante programa de Monitoria e redução em todas as demais modalidades de auxílio.

Os números se destacam quando analisamos a proporção de bolsas por estudantes:

Fica claro que o golpe impactou até mesmo nosso pequeno campus, pois há dinheiro para agradar aos políticos e ao judiciário, mas não para nossos estudantes. No que outrora foi uma pátria educadora agora só se aceita ordem, e com sorte, progresso. Realmente o país e o IFPR mudou pra pior.

 

Fontes pesquisadas:

Dados de 2016

Dados de 2017